Only in America (2)

Only in America…

A gasolina por aqui é muito barata. Alugámos um carro e lá nos metemos à estrada entre Nova York e Washington. Uns 400 kilómetros. Quando nos deram o carro no Rent-a-Car tiveram o cuidado de dizer “este não é dos que foram chamados outra vez à fábrica”, porque era um Toyota. Isto no dia em que o CEO da Toyota era ouvido no Capitólio em Washington por causa dos defeitos dos Toyotas que já causaram vários mortos nos Estados Unidos…

O carro da foto não é o nosso. É um Nissan que passou ao lado do nosso Toyota. Porque será que a GM está em dificuldades financeiras? Bom, às páginas tantas o nosso carro precisou de gasolina. No Estado de New Jersey o dono do carro NÃO PODE por gasolina no seu próprio carro. Não há postos self-service. Tem de ser o empregado a fazê-lo. Por mim tudo bem! Prefiro assim. Não andei meia década na Universidade a estudar para operar uma mangueira de gasolina sem chumbo. Há quem precise de emprego. Ao que parece as pressões dos sindicatos daqui fizeram a vida negra às empresas donas dos postos e conseguiram fazer aprovar pelo Estado de NJ que manipular um posto de gasolina, tirar a mangueira e metê-la no carro, premir o gatilho da mangueira e encher o depósito é um TRABALHO ESPECIALIZADO, de grande perigosidade porque se manipulam líquidos altamente inflamáveis. E assim é. Em New Jersey tem de ser um empregado especializado. Dois kilómetros ao lado em Nova York ou na Pensilvânia, qualquer um o pode fazer…

Mas já tinhamos entrado na Pensilvânia, por isso ao parar na bomba, lá estavam os sinais todos do self-service. O meu colega saíu do carro e abriu o depósito. Quando olhou para a bomba em si, viu logo que estava tramado. Era pré-pagamento. Mas nós queriamos encher o depósito, por isso o melhor era meter um cartão de crédito e atestar. Feita a operação do cartão, a bomba pediu o Zip Code (código postal) do meu colega! Ora, não vivemos cá. Em Portugal eu mesmo estou sempre sem saber qual é o meu código postal, confundo o do Cacém com o de Sintra e o de Rio de Mouro! Mas na América é pior. Que código ía ele dar? Eu dou sempre o 90125 (lembram-se do ábum dos Yes?). Como a máquina não se resolvia, não andava nem deixava andar, resolvemos pagar na loja e meter a gasolina depois. “Quanto meto?”, perguntou ele. “Sei lá!” – respondi – “Isto deve levar uns 45 litros. Quantos galões são 45 litros? Se não souberes mete uns 20 dólares, cada galão custa uns 2,30 dólares, por isso deve ser suficiente.”

O meu colega dirigiu-se ao interior onde encontrou um tipo a discutir por causa do preço de uma garrafa de água.Tinha pago 2,50 dólares (uns 2 euros) por menos de meio litro de água. Ainda por cima não devia ser mineral. Agora por aqui a Coca-Cola (e a Pepsi) vende uma marca chamada Aquafina, que é “água purificada” (leia-se, água da torneira engarrafada; a sério!!!). O tipo dizia “Mas a água é mais cara que a gasolina??? 2,5 dólares por esta água? Hell! Com o mesmo dinheiro comprava um galão de gasolina! Deus queira que não comece a chover gasolina do céu, senão o preço ainda dispara!!!”

Chegou a vez do meu colega. Explicou que queria encher o depósito, mas que não sabia quanto o carro levava, por isso queria saber quantos litros há num galão. Sabemos agora que são cerca de 4,5 litros. Mas ele não tinha nenhuma ideia. A operadora de caixa olhou para ele e diparou: “How many liters in a galon?”, “Sim”, disse ele. E ela: “De que tipo de combustível?” Aí o meu colega ficou intrigado. De que tipo??? Mas as medidas de volume agora dependem do tipo de líquido? Um litro não é sempre um litro? Seja de água ou azeite? Mas lá alinhou reticente: “Pode ser da sem chumbo”. A rapariga fez umas contas de cabeça e disse: “2,39 dólares”. O quê??? Não! Não é o preço do galão! Isso está marcado na bomba. Já sabemos. São 2,39 dólares por galão. Mas quantos litros há num galão? Aí ela ficou confusa. “Litros?”, perguntou ela. “Nós não temos litros de combustível para venda. Só vendemos galões. Aqui não se vendem litros. Não lhe posso vender nenhum litros de gasolina.” MAS COMO É QUE NÃO SE VENDEM LITROS???!!! Nem que não queiram, estão a vender litros! Nem que não saibam, estão a vender litros! É uma unidade de volume… Irra! Que diga que não sabe a equivalência, tudo bem… Mas dizer que se recusa a vender litros de combustível é de uma estupidez monumental!!! “Mas”, explicava o meu amigo, “cada galão pode ser medido em litros. Vocês vendem em cada galão uns tantos litros de gasolina… Sabe quantos são?” E ela: “Os outros postos talvez, nós aqui não fazemos isso. Só vendemos galões. Não fornecemos litros de combustível.”

O meu colaga estava a ficar sem paciência. “Ok, ok, então quero 20 dólares em combustível e logo se vê.” E ela: “Caro senhor, não vendemos assim. Tem que me dizer quantos galões quer. Não posso vender-lhe uma quantia, porque para isso tinha de calcular quantos galões são. Diga quantos galões quer pagar” Ele estava a rebentar: “Então ajude-me lá, quantos galões acha que leva aquele carro ali na bomba?” Ela olhou com cuidado. “Não sei. O carro é seu.” Chamou um colega porque o meu amigo insistiu que já deviam ter anchido muitos depósitos medianamente como aquele na bomba. O outro tipo veio, fez um olhar de entendido, olhou o carro de longe e perguntou: “‘That a Toyota?”, “Yes”, “Then I don’t know, Sir”… Mas… O meu amigo estava sem saber o que fazer. “Eu só quero não estar a meter gasolina a mais! Dê-me 20 dólares de gasolina, por favor, se for pouco eu depois meto mais.” (20 dólares são uns 16 euros, não é previsível que dê para muito mais do que levantar uns milímetros a agulha do indicador de combustível). Contrariada, a rapariga lá fez a conta e marcou na máquina uma quantidade de galões cheínha da casas decimais! O meu amigo só pensava: “Mas que estupidez! Mas que parvoíce!”

Pois os 20 dólares encheram o depósito! Tomara-mos nós em Portugal, onde custaria umas 3 vezes mais. Ainda estou a pensar o que querem os Americanos dizer quando protestam que os combustíveis estão muito caros!!!

Mas aquela de não vendrem litros… é demais. É que nós, mesmo contra a vontade dela, lá trouxemos uns 45 litritos de gasolina sem chumbo, deixando-a convencida que ela é que estava certa. A estupidez humana não tem limites…

Only in América!…

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s