II Jornadas de Estudo da Maçonaria Cristã – Sintra

sqcp

No passado dia 30 de Novembro de 2013 tive o prazer de participar nas II Jornadas de Estudo da Maçonaria Cristã, organizadas pela JPL “Adhuc Stat!”, nº5 do GPRDH, a Oriente de Sintra. A Loja, que trabalha no Regime Escocês Rectificado, comemorou recentemente o seu segundo ano de vida e, como vem sendo habitual, assinala o dia de Santo André – padroeiro do Rito que pratica – com um dia de estudo e divulgação dos fundamentos da Maçonaria Cristã aberto aos maçons de todos os Ritos e Obediências, bem como ao público em geral. A iniciativa tem o apoio do In Hoc Signo – Hermetic Institute e da Akademia Maçónica de Sintra.

Como Presidente do In Hoc Signo e durante muitos anos membro do Rito Escocês Rectificado, fui honrado com o convite para apresentar um trabalho que vem antecipar o meu livro (a sair em 2014 pela Zéfiro), que aborda a rica simbologia maçónica. Deste modo, apresentei uma curta comunicação intitulada “O Leão no Simbolismo Maçónico do Regime Escocês rectificado”.

Deixo um pequeno extracto:

“O Leão é um dos símbolos mais usados pelas religiões e pela tradição para representar a força do animal solar por excelência, divindade absoluta da vida e da morte e mediador de toda a Criação. Representa o poder soberano, a ordem e a sabedoria. Sendo o Rei dos Animais incorpora todas as qualidades e defeitos do seu lugar régio, incluindo a autoridade, a nobreza e a magnificência, mas também a cólera e a violência. É a luz manifestada na sua maior potência, o Ouro esplendoroso, sendo por isso o protector e o que cuida, ao mesmo tempo o Pai e o Mestre, mas igualmente o tirano e opressor se for consumido pelo orgulho e se ficar cego pela própria luz. Na Bíblia o Leão é o portador da destruição ordenada pela divindade, como é igualmente o símbolo do poder dos monarcas sobre o povo e o seu rugido é considerado tão poderoso quanto a Voz de Deus. Energia pura, é a destruição e a construção. O Rigor, a Justiça e a Síntese ao mesmo tempo. Na Árvore da Vida está representado na esfera do Esplendor, Tiphereth, a esfera central. O Leão aparece igualmente na visão de Daniel, como um dos animais proféticos, que os comentadores têm associado ao Império Babilónico. É ainda o símbolo da Justiça e da Clemência, estando associado a inúmeras lendas onde despedaça os iníquos e poupa os justos.

Tradicionalmente diz-se que o Leão habita um covil ou cova. É um habitante do interior da Terra, lugar que domina com o seu aspecto duplo de Sol Exterior e Sol Interior. O Leão em hebraico é Ari , cujo valor na Gematria é 211, relacionando-o com palavras como Herói, Acesso e Vista e dando-lhe a letra Dalet como atributo. Dalet assemelha-se a uma porta, com um alpendre ou cobertura. Por esta associação o Leão guarda a porta para a Caverna. É assim que vemos a inocência de Daniel provada na Caverna dos Leões. Estes não lhe tocam pois está inocente. É numa cova que Hércules deve matar o Leão de Nemeia. É assim que vemos os Leões que guardam o acesso a locais de poder, como Castelos, Palácios Reais e, na literatura medieval, encontramo-los à entrada do Castelo do Santo Graal.

(…)

O Leão domina o poder de dar a vida e é vitorioso sobre a morte. Os Bestiários medievais perpetuavam a lenda que terão recolhido de Aristóteles e Plínio, a qual afirmava que a leoa dava à luz as suas crias mortas, mas que as acarinhava por três dias e lhes dava a vida através do seu alento. A associação à morte e ressurreição de Cristo ajudou à propagação do mito, marcando o carácter Crístico e de senhor da vida e da morte do Leão.

Os Alquimistas chamavam Leão Verde ao primeiro agente magnético empregado para a preparação do Alakest, ou Dissolvente Universal. Este é um tema amplamente explorado pelos Rituais Alquímicos do Barão de Tschoudy e de Dom Pernety. Alguns grandes Adeptos deram-lhe nomes diferentes para despistar os curiosos. Basile Valentin chama-lhe Vitriol Verde, expressando a sua natureza quente e ardente, outros chamaram-no Esmeralda dos Filósofos, Orvalho de Maio ou Pedra Vegetal.

No contexto Maçónico devemos separar o Leão genericamente usado como símbolo solar, a que se atribui a Força, a Sabedoria e a Beleza como expressão de uma trinuidade criadora, igualmente emblema da Tribo de Judá tal como nos aparece nos graus de Arco Real e do Rito Escocês Antigo e Aceite, do seu simbolismo particular tal como aparece no Rito Escocês Rectificado, que iremos analisar à parte. O trono de Salomão tinha dois Leões em ouro, que se perpetuaram na sua associação aos mais nobres entre os nobres, sendo usado nos tronos de monarcas e Papas ao longo de milénios. É o animal emblemático da Tribo de Judá, a tribo que viria a gerar a linhagem sagrada dos monarcas de Israel, incluindo David, Salomão e o futuro Messias. O Leão é o emblema heráldico mais usado em todos os tempos. Os Evangelhos de Mateus e Lucas dão a genealogia de Jesus, colocando-o como um príncipe da Tribo de Judá.

A realização da Obra do Leão é a realização da perfeição da obra física. O Leão é o símbolo da genealogia do Mestre, pelo que representa a transmissão imemorial e ininterrupta do Conhecimento de Mestre a Discípulo. A esta segue-se a Obra da Águia, contraparte imortal da matéria realizada representada pelo Leão (Ouro, luz manifestada, Sol, etc.). Deste modo, os graus simbólicos estão associados ao Leão e os graus filosóficos estão ligados à Águia.

(…)

No Rito Escocês Rectificado o Leão aparece no 4º grau, o de Mestre Escocês de Santo André, como emblema do grau. A descrição dos rituais originais de 1778, manuscritos por Willermoz, diz: “Um Leão sob um céu tormentoso e carregado de nuvens, repousando ao abrigo de uma rocha e brincando tranquilamente com alguns instrumentos de matemática e estas duas palavras por divisa: MELIORA PRAESUMO, que significam ‘entrevejo coisas melhores’”. Não iremos desmontar aqui a simbólica de tal emblema, trabalho que Willermoz convida todos os Mestres Escoceses a fazer frequentemente, mas apenas referir alguns pontos mais salientes do seu estudo que podem abrir interessantes avenidas de pesquisa simbólica.

O Leão do Rito Escocês Rectificado (RER) está a coberto de uma rocha, protegido da tormenta que se desenrola à sua volta mas que não o afecta, já que está imperturbável, brincando com “instrumentos de matemática”. Já vimos anteriormente que o Leão (Ari em hebraico) se relaciona com a letra Dalet. Esta prefigura a imagem da rocha que vemos nas diversas representações do emblema maçónico, com uma cobertura protectora. Contudo, é também associada à porta, pelo que o Leão que brinca com instrumentos de matemática está a guardar uma porta ou entrada (papel que lhe é atribuído tradicionalmente, à entrada de fortificações e palácios em todo o mundo), acesso a uma caverna subterrânea, a arquetípica Caverna do Leão. René Guénon atribui à caverna o significado de “centro” e relaciona-a com o coração designando-a como “caverna do coração” . O Leão na sua Caverna é uma imagem clara do Homem que despertou a centelha no seu coração, a Presença que se manifestava na Arca no seu Sanctum Santorum, figurada no RER pela construção do Templo Místico de Salomão, objectivo último do Maçon Rectificado.

Por outro lado a Caverna refere-se ainda ao que está oculto, invisível, desconhecido. Este aspecto pode ser lido a muitos níveis simbólicos, já que do ponto de vista universal o Leão na caverna é a representação do Rex Mundi na sua cidade oculta interior, sendo igualmente a referência à Ordem Interior (uma Ordem de Cavalaria) que rege o Regime Rectificado, expressão da uma Ordem Invisível de que tivemos já oportunidade de falar.

(…)

Uma última referência aos instrumentos de matemática com que o Leão brinca no emblema Rectificado. A Matemática é a antiga Aritmética. Ora, a palavra Aritmética vem do Latim Arithmetica, que encontra raiz no grego Aritmetiké Tekhné (ou “arte numérica”), em que número é Arithmos. Ora, Arithmos deriva da raiz indo-europeia “Ar”, que dará palavras como Arte, Ara, Ordem e o hebraico Ari (Leão). Assim, o Leão que brinca com instrumentos de Aritemética é a personificação da própria essência da Matemática. O Logos, veículo da Criação e destino da Reintegração. A medida de todas as coisas começa no Leão e termina no Leão. Ele é não só o que detém a Palavra Perdida, mas detém igualmente a Dimensão Perdida.

No RER, então, o Leão na sua Cova ou a coberto do seu Penhasco está protegido, está no seu lugar, imperturbável, detendo a plenitude do conhecimento aritmético e a medida de todas as coisas. Nenhuma tempestade o distrai ou atemoriza. É a imagem do Templo Místico de Salomão reedificado no Maçon. Ao entrever coisas melhores, segundo a sua divisa, exorta todos os que estão a passar por maus momentos a ancorarem a sua Esperança no futuro. Alude à coragem extraordinária de Santo André, discípulo de São João Baptista que, reconhecendo o Leão de Judá (Cristo), não hesitou em deixar para trás a sua existência anterior, incompleta, passada, para se reunir ao trabalho da construção do Novo Templo com o Cristo. Para fazer essa transição entre toda uma vida dedicada a um Mestre pela do Mestre dos Mestre, André personificou o MELIORA PRAESUMO, passando ele mesmo da Antiga Lei à Nova Lei. Até ali o Templo era exterior (Tabernáculo no Deserto, depois Templo de Salomão, depois Templo dedicado por Zorobabel), mas com Cristo a construção do Templo é mística e interior.

O Leão, forte, soberano, em majestade é uma das mais poderosas imagens simbólicas usadas pela humanidade em todos os tempos. No seu aspecto sereno e imperturbável é a representação do Homem realizado.”

Resta-me mais uma vez agradecer à JPL “Adhuc Stat!” o convite e a oportunidade, desejando as maiores felicidades e êxitos no trabalho Rectificado.

Que a Ordem prospere.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s