Quem Sou

Algumas palavras sobre o meu percurso iniciático e a minha vida pessoal.

Sou gestor de empresas, actualmente Presidente e COO da Digital Stream Interactive, ramo europeu da DSI Americana, companhia da área de New Media. Trabalho em Madrid, Espanha. Nasci na freguesia do Bonfim, no Porto, em 1968. Por isso fujo a sete pés de locais chamados “Bom Começo”, com medo de morrer aí! (Hehehe! É só a brincar, claro…) Vivi uma curta parte da infância em Luanda, Angola, e até aos 10 anos cresci no coração de Trás-os-Montes, o que influenciou a minha formação humanista e determinou o meu interesse pelas tradições populares Portuguesas. Mais tarde acompanhei a família numa mudança para a região de Sintra, onde passei a juventude sob a sombra da mítica Serra que sempre me fascinou. Foi no intento de decifrar os seus mistérios que entrei em contacto com literatura ocultista que amiúde referia Ordens secretas como a Maçonaria e os Templários, apaixonando-me rapidamente pela gesta da Demanda do Santo Graal.

Muito jovem ainda tive a boa fortuna de encontrar orientação para os meus estudos. Passei a interessar-me pela História desconhecida do povo luso, acabando por fundar com mais dois amigos o “Jornal Quinto Império”, de que foram colaboradores – e amigos de largas conversas – nomes como Lima de Freitas, Agostinho da Silva, António Quadros e José Manuel Anes, entre muitos outros.

Viria a entrar na Maçonaria em Maio de 1991, precisamente na Respeitável Loja “Quinto Império”, à época a nº 525 do Distrito de Portugal da Grande Loja Nacional Francesa. Já havia sido convidado para aderir a uma Loja do Grande Oriente Lusitano, mas o carácter laico da maçonaria do GOL não me seduziu. Apenas a profundidade do Rito Escocês Rectificado e o projecto de acender a Luz que iluminou Willermoz, através da criação da Ordem dos Cavaleiros Benfeitores da Cidade Santa em Portugal me entusiasmou. Ainda em 1991 fui membro fundador da Grande Loja Regular de Portugal, onde desempenhei funções de Grande Oficial durante a quase totalidade do mandato do Grão-mestre Fernando Teixeira. Em 1995 fui armado Cavaleiro Benfeitor da Cidade Santa (Ordem Interior) no Convento de Cristo, em Tomar, assumindo no mesmo ano a condução da Loja de Santo André de Lisboa e no ano seguinte a condução da histórica Respeitável Loja Fernando Pessoa, nº1. Com a cisão provocada pela chamada “revolta da Casa do Sino”, decidi manter-me ao lado da Maçonaria Anglo-Saxónica e prosseguir o trabalho na Grande Loja Legal de Portugal até que deveres profissionais me levaram a residir em Madrid a partir de 2005. Ausente por isso dos trabalhos na Maçonaria Portuguesa, mantive entretanto na capital Espanhola a ligação à Ordem, sendo membro de uma das mais prestigiadas e antigas Lojas do Rito de Emulação.

Mas a Maçonaria não foi o meu ponto de partida para estudar a transcendência. Os meus primeiros estudos foram um pouco auto-dirigidos, ao sabor dos mistérios que encontrava, muito inspirado por Sintra e pelos seus segredos. Li muitos livros que não valeram o tempo que dispensei neles. Tive a sorte de encontrar rapidamente autores que muito contribuiram para que tivesse o hábito de preferir as fontes originias e não as cópias modernas. Li ainda muito jovem as obras de Guénon, Évola, Pasqually, Fulcanelli, BlavatskyLlull entre muitos outros. As entrevistas do Jornalista Victor Medanha no Correio da Manhã fascinavam-me. Mas a primeira escola verdadeiramente estruturada a que me associei foi na linha Teosófica. Ainda hoje estou ligado a duas instituições que muito prezo:

Comunidade Portuguesa de Eubiose

Loge Unie des Theosophes (Paris)

A Maçonaria só viria depois de alguns estudos teosóficos. O mesmo aconteceu com muitos dos meus Irmãos, mas por algum motivo que não sei explicar, muitos perferem esconder estas filiações como se fosse alguma fraqueza. Não é.

Hoje continuo activamente ligado a outras Ordens e escolas que estudam a transcendência e se preocupam em realizar o maior potencial espiritual do Ser Humano. Entre elas, posso nomear as seguintes:

Antiga Ordem Martinista e Ancient Martinist Order

Ordre des Elus Cohën (filação René Chambellant [Tau Renatus, consagrado e iniciado em 1936 por Constant Chevillon])

Ordo Supremus Militaris Templi Hierosolimitani Universalis, onde fui durante muitos anos o Prior de Portugal e onde hoje sou o Chanceler Internacional

Ordem de São Miguel da Ala

Saint John Historical Society (Londres)

In Hoc Signo – Hermetic Institute

Instituto Gualdim Pais – de que sou Presidente

Sou ainda sacerdote ordenado pela Old Templar Church nos Estados Unidos, uma Igreja que segue o Cristianismo Apostólico e que já tem um ramo em Portugal.

Mantenho-me activo em todas as referências anteriores.

No passado fui aplicado estudante de várias outras escolas e Ordens, nas quais terminei os estudos ou que, entretanto deixei por manifesta falta de tempo. Cito algumas que merecem especial atenção e me ajudaram a descobrir o mundo da transcendência:

Antiga e Mística Ordem Rosacruz (AMORC)

Ordem Martinista e Sinárquica

Builders of the Adhytum (B.O.T.A.) [Estudei Kabbalah e o tarot com esta escola, uma linha específica da Golden Dawn original]

Les Philosophes de la Nature (França) [Estudei Kabbalah e os dois cursos de Alquimia: Espagíria e Alquimia Metálica, sob a orientação de Jean Dubuis]

International Instiute of Templar Studies

Lucis Trust International  (Escola Arcana)

Societé du Souvenir et Études Cathares (fundada por Déodat Roché)

Mas não é isto que eu sou. Isto é o que fiz. Sou o que sou. E isso é o que busco realizar plenamente.

Anúncios

One thought on “Quem Sou

  1. Pingback: Os números de 2010 « Um Blog Universátil

Os comentários estão fechados.